Follow falcon_dark on Twitter
Google

terça-feira, dezembro 05, 2006

Mini-Tutorial: iPod no Linux em 7 passos

Eric Raymond polemizou esse ano ao afirmar, entre outras coisas, que o Linux tem que estar mais disposto a aceitar padrões proprietários. Em um discurso na Linux World até afirmou que uma das preocupações do Linux deve ser o suporte ao iPod, entre outros gadgets que as pessoas adoram hoje em dia. Para colocar pingo de clareza nisso eu estou fazendo esse artigo. Mas vou adiantar uma coisa para você, e você pode rir se quiser: o iPod Nano que eu testei funcionou tão bem no Linux quanto no iTunes 7 instalado em um Windows.

O sistema usado foi um Mandriva 2007, uma excelente distro, que deve receber parte dos refugiados do Suse, agora que a Novell está espantando seus usuários comunitários. A interface foi o KDE 3.5 e o programa usado para gerenciar o iPod foi o Amarok 1.4. O iPod é um pequeno Nano de primeira geração com 2GB de memória. A conexão e operação foi fácil, exigindo conceitos que qualquer usuário com 6 meses de Linux tem com certeza. Nenhum feitiço, malabarismo ou magia negra foi usado. Não precisamos compilar kernel, nem o Amarok, nem o KDE, nem nada. Foi configurar, plugar e usar, como você vai perceber adiante. Digo isso porque conheço muita gente que nunca usou Linux ou que usou há 7 ou 8 anos, mas que ainda acha que para fazer qualquer coisa no Linux é preciso compilar algo. Eles com certeza passarão aqui para ler o artigo, apenas para me enviar um e-mail dizendo que no Windows é ainda mais fácil de configurar, que não precisa editar nenhum arquivo, que não precisa usar linha de comando, etc.

De qualquer forma, eu dividi a operação em 7 passos. Vamos à eles.

Passo 1: Criar a infra estrutura para operação do iPod
Não se assuste com o passo 1, ele é fácil. Eu coloquei um título difícil nele apenas para assustar os curiosos. Sabendo que o iPod não foi desenhado para operar com Linux (obrigado Apple, por pensar diferente e suportar apenas o Windows) precisamos ajustar alguns passos no sistema operacional para permitir o bom funcionamento da solução. Em pausa nesse mini-tutorial vou dizer uma coisa: por essas e outras eu prefiro o Linux, tente operar algo no Windows que não seja desenhado para Windows :-P

Comece escolhendo onde montar seu iPod. Montar, não se engane, é o termo para tornar um sistema de arquivo legível no Linux. Assim, eu escolhi acessar o iPod pelo ponto de montagem /mnt/ipod, você pode escolher o qualquer outro ponto.

Crie o ponto de montagem:
# mkdir /mnt/ipod

Para evitar qualquer problema de acesso, dê permissão de leitura e escrita para todos os usuários:
# chmod 777 /mnt/ipod
Isso permitirá que você escreva e configure o dispositivo sem problemas. Mais informações (úteis) sobre permissões de arquivos podem ser encontradas no Viva o Linux

Opcionalmente você pode adicionar as opções de montagem no arquivo /etc/fstab (usando o Kedit, o vi ou outro editor de sua preferência, como root) para agilizar o processo, eu recomendo adicionar ao arquivo a linha:
/dev/sda2 /mnt/ipod vfat noauto,user 0 0

Não vou entrar nos detalhes sobre o que está contido neste arquivo do Linux, existem bons tutoriais sobre isso, como o Guia Foca Linux. Mas vamos entender cada item, para saber o que estamos fazendo:
/dev/sda2 – é onde está a partição de músicas do iPod, assumindo que ele é o primeiro e único dispositivo de armazenamento de massa USB conectado.
/mnt/ipod – é o ponto de montagem escolhido, você deve usar seu próprio ponto se tiver escolhido outro. A rigor é o diretório que criamos lá atrás.
vfat – é o tipo de sistema de arquivos usado pelo iPod para armazenar músicas.
noauto – é uma opção para impedir que o sistema tente montar o dispositivo automaticamente durante o boot, gerando um erro caso o aparelho não esteja conectado.
user – é uma opção que permite que qualquer usuário monte esse sistema de arquivos, obrigatória nesse caso, já que você não usa seu sistema como root. O Amarok, ao tranferir arquivos para o iPod estará rodando em seu usuário do sistema, por isso é importante que esse usuário tenha montado o dispositivo.
0 0 – (Dois zeros com um espaço no meio) não convém comentar agora, mas deve constar ao final da linha.

Com esses procedimentos criamos uma estrutura no Linux para automatizar as etapas de configuração que devem ser efetuadas quando conectarmos o aparelho. Antes que você reclame que o Linux é difícil de usar saiba que tudo isso poderia ser feito de forma gráfica na maioria das distros voltadas para o uso em desktop. Aqui eu cito os procedimentos usando o shell porque eles são universais e independem de qual ambiente gráfico ou ferramenta de gerenciamento de sistema você está usando.

Terminado o passo 1, o mais difícil de toda a trajetória épica que estamos iniciando. Agora tudo fica mais fácil.

Passo 2: Conectar o iPod
Após configurar tudo como descrito no passo 1 podemos conectar o iPod pela primeira vez. Ele irá exibir a tela “Do not disconnect” ou piscar o led laranja, dependendo do modelo. No KDE 3.5 uma tela de serviço do sistema abre perguntando o que você deseja fazer com o dispositivo. Tanto faz qual sua escolha aqui, eu simplesmente mando abrir o dispositivo em um janela do Konqueror (navegador de arquivos) para me certificar de que ele está montado corretamente e inicio manualmente o Amarok (gerenciador de mídia e player de áudio do KDE).

Janela de Serviço do KDE 3.5


Passo 3: Montar o dispositivo
Aqui, dependendo da configuração do seu Linux a montagem do iPod pode ser efetuada automaticamente logo após a conexão. Se você conseguir visualizar o conteúdo do iPod em um gerenciador de arquivos ele está montado. Caso seu sistema não efetue essa operação automaticamente você pode, como um usuário normal, montar manualmente o iPod digitando o seguinte comando no shell:
$ mount /mnt/ipod

Confirme se a montagem foi bem sucedida abrindo um navegador de arquivos e visualizando o conteúdo do iPod, que deve parecer com o mostrado na imagem abaixo (de um iPod Nano de primeira geração). É importante montar o dispositivo como usuário normal, para que seu Amarok possa acessar a unidade e escrever arquivos nela. No Linux o usuário que monta um sistema de arquivos é seu proprietário, por isso se a montagem for efetuada pelo root apenas ele poderá transferir arquivos para o player. Caso você não consiga montar o iPod, ou não consiga visualizar seu conteúdo após a montagem certifique-se de ter efetuado corretamente todos os procedimentos do Passo 1.

Detalhe do Konqueror exibindo o dispositivo iPod montado


Passo 4: Conectar logicamente o iPod ao Amarok
Se tudo deu certo até aqui você deve ter conseguido conectar e montar o iPod e seu Linux deve vê-lo como um dispositivo de armazenamento USB semelhante à um pendrive. Mas é pouco prático ficar transferindo arquivos manualmente para o player. Por isso vamos conectá-lo ao Amarok, um excelente player e gerenciador de mídia para Linux baseado no KDE. O Amarok poderá reconhecer seu Apple iPod e transferir músicas ou álbuns inteiros orientado pela ID3 Tag dos mp3, além disso o Amarok 1.4 também pode gerenciar as Playlists do iPod de forma mais rápida que o próprio iTunes.
configurando04
Configurando o iPod corretamente no Amarok

Com o iPod conectado e montado (Passos 1 a 3) vamos ao Amarok. Na aba Dispositivos (localizada no canto inferior esquerdo do aplicativo) você receberá a opção de configurar o dispositivo conectado. Conforme as imagens escolha Dispositivo de Mídia Apple iPod e ajuste as outras opções conforme suas preferências. A partir daí você poderá ver o conteúdo do iPod na forma de uma lista de músicas na janela esquerda do player. Sempre que o iPod estiver montado pelo sistema o Amarok poderá conectá-lo automaticamente, agilizando o processo, desde que você configure a conexão da forma correta. Aqui podemos deletar músicas do iPod ou adicionar novas a partir da biblioteca do Amarok.

Passo 5: Transferindo músicas
Para enviar músicas para o iPod você pode adicionar as faixas desejadas à lista de reprodução do player e depois arrastar todas elas para a lista do dispositivo. O processo é bem intuitivo e dispensa mais explicações, é um arrastar-e-soltar como o da cópia de arquivos normal. A vantagem de usar o Amarok é poder organizar e pesquisar as faixas por vários critérios de busca. Ao arrastar as faixas para o iPod elas são adicionadas à uma fila. Ao clicar no botão Transferir (parte superior esquerda da interface) o programa envia os arquivos ao player. Uma barra de porcentagem e informações sobre o número de faixas transferidas informa quando o processo termina.
transferindo03
Transferindo faixas para o iPod

Aqui eu tenho um servidor de arquivos na rede que também guarda os mp3 em uma partição específica. Uso o Amarok em meu notebook que conecta-se à rede via wireless 802.11g, por isso tenho as informações de minha biblioteca em meu PC, mas a biblioteca está na verdade em outro lugar. Não importa. O Amarok transfere os arquivos de seu local físico real para o iPod de forma totalmente transparente. O interessante é pensar sobre a qualtidade de informação gerenciada nesse caso. Os arquivos mp3 correm pela ethernet até o roteador, por wi-fi para o notebook, via USB para o iPod, para que eu possa escutá-los onde quer que eu vá.

Passo 6: Desconectando corretamente o iPod
Muita gente pensa que após enviar os arquivos para o iPod, basta puxar o cabo USB. Errado. Desmontar o sistema de arquivos é fundamental para impedir problemas de corrupção de dados. Isso é tão importante que o manual do iPod+iTunes deixa claro para sempre Desconectar o iPod e depois desconectar o dispositivo USB (forma como o Windows chama a desmontagem de um sistema de arquivos). Mesmo no Windows é fundamental desmontar o sistema de arquivos antes de remover o cabo USB do iPod e você deve fazer isso sempre.

Após finalizar as transferências para seu iPod, clique no botão Desconectar, isso finaliza a conexão lógica do Amarok com o iPod. Mas antes de puxar o cabo desmonte o sistema de arquivos, como usuário normal, no shell, digite:
$ sync
$ umount /mnt/ipod

E pronto, agora você pode remover seu iPod de forma segura. Não ligue para a tela de “Do not Disconnect” (ou para o led laranja psicando) que o iPod continua exibindo. Puxe o cabo sem medo pois você já sincronizou e desmontou o sistema de arquivos de forma segura.

Passo 7: Ouça sua música
Esse é o passo mais fácil de todos. Ouça suas músicas à vontade e se encontrar Eric Raymond por aí diga à ele para recomendar meu blog para seus amigos que perguntam se o iPod funciona com o Linux.

Conclusões
Aqui sempre há esse tipo de coisa, não? Eu não poderia ficar feliz o bastante com um mini-tutorial para configurar o iPod sem deixar algo pessoal meu no final. Antes de usar o iTunes pela primeira vez eu me perguntava porque a Apple não faz uma versão dele para Linux. Até tinha um pouco de raiva dela por isso. Quando me perguntavam porque não um iPod eu sempre dizia: O iPod não foi feito pra mim, seu software não funciona em Linux, pois a Apple não me quer como cliente. O Leo Faoro sabe disso. Claro que o Linux está presente em um número muito pequeno de máquinas domésticas, o que talvez seja o grande motivo pelo qual a Apple não suporta o Linux com o iTunes. Mas será que os usuários de Linux que escolhem o produto da Apple (aliás o player dono de 75% do mercado mundial) não deveriam receber alguma atenção da empresa?

Essa dúvida se desfez ao comparar o Amarok com o iTunes sobre Windows. A alternativa livre não dispõe de todos os recursos para manejar os iPods mais recheados. Na verdade se você tiver um Shuffle estará muito bem atendido pelo Amarok, mas sentirá falta de todos os outros recursos que dão suporte às outras versões de iPods. A lista de contatos e o calendário presentes no Nano, bem como os jogos e fotos não podem ser manejados pelo Amarok. Para usar esses recursos de seu iPod você ainda precisará de um Windows com iTunes. Entretanto não existe como comparar a velocidade e agilidade do gerenciamento de mp3 do Amarok com o iTunes. O software da Apple aqui foi extremamente lento, quase contra-produtivo. Rolar a lista de músicas usando o scroll do mouse no iTunes gerava uma lentidão maior do que aquela verificada no Winamp com uma skin daquelas muito pesadas, algo decepcionante para uma empresa com a reputação da Apple.

Não me importa se o seu iTunes funciona bem e é rápido. Aqui, por algum motivo, a versão 7 do software baixado do site da maçã trabalhou de forma muito ruim. Talvez seja o tamanho da coleção, mais de 7000 arquivos. Talvez seja o fato desta coleção estar em um servidor da rede acessada via wi-fi. Não sei. O fato é que sob as mesmas condições o Amarok foi muito mais rápido que o iTunes na organização das listas de músicas e em sua transferência para o iPod. Apple iTunes, não obrigado. Prefiro ficar sem a agenda de compromissos do que perder outras 4 horas no iTunes para validar a coleção e transferir 2GB de música para um player portátil (sim, 4 horas para validar a coleção, fazer uma lista de 380 músicas e transferí-las para o iPod). O que o Amarok deixa a desejar em recursos entregou em desempenho, algo muito mais importante para mim. Espero ter ajudado.

Referências Técnicas: Guia do Hardware

Follow falcon_dark on Twitter
Google
Comments:
O Amarok hoje é o melhor player e organizador de músicas do planeta. O iTunes é e sempre foi um lixo, muito ruim. Sua popularidade talvez seja porque o Windows Media Player consegue ser ainda mais medíocre. Mas não há dúvidas de que o Amarok bate qualquer um desses.
 
Eu nunca entendi esse alarde em relação ao iTunes. Já tentei usá-lo algumas vezes, mas simplesmente não desce. Essa versão 7 então... muito pesada. :( O que não consigo entender...

No Windows fico com o bom e velho Winamp (tema clássico). No Linux, Listen e BMPx. Mas devo reconhecer que o Amarok é melhor... só não uso pois prefiro ter aplicativos que usem GTK.
 
Achei engraçado quando Raymond falou que iPods têm de ser compatíveis com o Linux, senão ele nunca deslanchará em desktops.

Quando mei Shuffle era vivo (que Deus o tenha), eu simplesmente o espetava na USB, usava normaalmente como pendrive, e botava músicas nele usando o Rhytmbox no meu Ubuntu.

E o iTunes é ótimo! Só é pesado em sua versão para Ruindows, para Mac ele é divino.
 
Ah, sim! Quase me esqueço!

Vista vulnerável a vírus antigos:
http://www.geek.com.br/modules/noticias/ver.php?id=3898&sec=5

Depois, dê uma olhada naquele texto que você escreveu em dezembro de 2005, entitulado "Espere um ano", e veja se as profecias foram cumpridas ;)
 
Acabo de comprar um shuffle 2nd generation, e fico imensamente feliz de saber que o amarok vai dar conta. Foi um impulso que quase me arrependi depois, mas agora fico mais tranquila. Nao consegui foi carregar a bateria no linux, tenho que ver oq ue o usb andava aprontando... alguma experiencia neste sentido?
 
Pessoal, obrigado pelos comentários. Fabiane, obrigado por me lembrar desse post... infelizmente o Brasil não foi hexacampeão de futebol :-(

Sulamita, aqui tanto o Nano 1g como o Shuffle 1g carregaram suas baterias no Linux, mesmo quando não estavam montados. Não vejo um bom motivo para que o Shuffle 2g não consiga puxar energia da USB apenas por causa do Linux. Você está conectando o iPod em uma porta USB 2 de alta energia? Portas de hubs USB, daquelas placas PCI e portas USB de teclados e mouses normalmente não conseguem carregar iPods por serem portas de baixa energia. Conecte o bichinho em uma porta da própria CPU, de preferência 2.0 e nos diga se deu certo. Enquanto isso eu procuro algo e, se achar, te aviso.
 
Pior que seguir a manada, só mesmo seguir a manada e subutilizar a carroça. Infelizmente, o motivo deste povo, a quem o ESR se refere, adorar o ipod não se limita a ele ser um excelente mp3 player.
 
E agora... eu nao sei se são usb 2 nem se são de alta energia. vejamos...
00:02.3 USB Controller: Silicon Integrated Systems [SiS] USB 1.0 Controller (rev 07)

acho que isto quer dizer que não ne?
Vamos testar no notebook da empresa:

USB Controler Intel corporation 82801G (ICH7 Family) USB UHCI #1
.
.
.
USB Controler ..... USB2 EHCI Controller

Mas mesmo assim se conectar no linux a luz laranja fica piscando, diferente de no windows que fica acesa direto e quando está carregado, fica verde.

Andei buscando algum forum sobre isto mas não achei... vou continuar tentando...
 
Hummmm..... Sulamita, não sei quanto ao Shuffle 2g que vc possui, mas no Shuffle 1g da minha irmã faz a mesma coisa (pisca o LED laranja o tempo todo) mas carrega a bateria normalmente.
E há uma boa explicação para isso.

No Shuffle 1g os códigos de cores do LED são:
Laranja Piscando: Do not disconnect (transferindo dados)
Laranja Aceso: Carregando a bateria
Verde Aceso: Bateria Carregada

Assim o laranja piscando que você vê é somente o aviso de Não Desconectar do iPod (que também acontece no Windows, mas é suprimido pela conexão de dados do iTunes). Entretanto mesmo com o aviso de Não Desconectar o iPod está carregando as baterias. Isso também acontece com o Nano, que em lugar do ícone de bateria na tela fica exibindo o aviso de Não Desconectar o tempo todo. Eu sugiro que você conecte seu shuffle 2g no Linux e deixe-o plugado, mesmo com a luz laranja piscando, pelo tempo necessário para a carga da bateria (cerca de 3 horas) e provavelmente você verá o Led verde. Mesmo que o verde não apareça, algo normal já que a mensagem Não Desconectar deve ter maior prioridade que a mensagem Bateria Carregada, acredito que a sua bateria estará completamente carregada, algo que você poderá comprovar pelo tempo de uso antes de uma nova carga. Faça esse teste e talvez você descubra que o 2g, assim como o 1g que tenho aqui, está apenas te passando a informação errada enquanto carrega suas baterias.

Aqui, à excessão dos recursos inexistentes no Amarok, o iPod está funcionando muito bem com o Linux. Mas o Shuffle 1g também fica piscando o led laranja enquanto carrega, como seu 2g faz.

Espero ter ajudado.
 
Oi Falcon!

Obrigada pela ajuda, mas tenho más notícias. Já deixei este Ipod horas a fio, inclusive virando a noite, e nada de parar de piscar.

Alem disto, nao estou conseguindo montar. Da primeira vez que tentei, quando nao tinha conectado no itunes nem carregado musica nenhuma, tinha conseguido montar sem problemas. Agora, ele é reconhecido mas tem uma tabela de partiçoes desconhecida. Eu tenho uma impressão muito forte que eles andaram mudando alguma coisa, mas vou ler mais atentamente os guias desde o começo, quais módulos, especificaçoes, procurar alguma lista. Mas quer saber a verdade? No fundo estou torcendo para que ainda não tenha suporte, eu to doida por alguma diversão :D
 
Oi, Sulamita.

A luz laranja realmente não pára de piscar nunca... mas a bateria carrega, certo? Aqui no shuffle 1g é a mesma coisa... o led laranja continua piscando mas a bateria é carregada normalmente.

A montagem é feita com a segunda partição, sda2 ou sbd2... a primeira partição (sda1) é onde está o firmware. Tente montar a segunda partição em formato vfat e me diga o que acontece... como sugestão tente com a linha no fstab:
/dev/sda2 /mnt/ipod vfat noauto,user 0 0

A primeira partição aqui também não monta com um erro de sistema de arquivos incorreto.
Se quiser me contatar por e-mail fique à vontade: luiz.fabio[at]gmail.com
 
Ahhh, acabou a diversão :D e tambem "as soluções mais óbvias são as mais dificeis"...

Bom, o fato é que o shuffle 2nd generation não tem mais partições. A gente monta direto o sdX. Assim, eu montei o sdb e foi...

Quanto a luz laranja, se desmontado e ejectado(eject /dev/sdb) ele fica aceso direto. Agora preciso testar se carrega mesmo, pois como disse, deixei literalmente dormir no note ligado e não carregou. Mas isto são cenas do próximo capítulo.
 
Hahahahaha... Devagar vamos descobrindo o caminho das pedras. Agora vou precisar adicionar essas dicas ao post original! Obrigado pela participação, Sulamita e não esqueça de nos avisar sobre o carregamento do bichinho depois, ok? ;-) Valeu!
 
Mais um update: embora pareça que o amarok conectou e transferiu as músicas, sem o gtkpod o iPod não toca estas músicas. Antes de transferir com o Amarok, precisamos do gtkpod para construir um arquivo de base de dados(não me pergunte muitos detalhes, eu não lembro exatamente, sei que me falaram isto no canal do amarok). Daí sim, pode-se transferir as músicas e sair ouvindo no seu novo iPod... ufa!
 
Olá, Sulamita!

Aqui em minha máquina (Mandriva 2007+KDE 3.5+Amarok 1.4) não é necessária a instalação do gtkpod para que a transferência seja bem sucedida. O plugin Apple iPod do amarok faz a criação da base de dados sem o gtkpod. Estou sem esse pacote instalado e consigo transferir as músicas normalmente. Você poderia nos dizer que versão do amarok está usando aí? Valeu!
 
Amarok é tudo de bom.
Eu uso o meu "MP4 Player" comprado no ML, no Linux, Kurumin e BIGLINUX que é uma maravilha.
Nunca deu problema, pelo KDE.
Tudo Jóia!
 
Muito bom e muito obrigado!
Funcionou sem nenhum problema também com iPod de 4Gb e, com o Amarok é mesmo muito melhor do que com o original .
 
Pelo amor de deus!!!! sera q não teria uma forma de operar o ipod sem precisar dessa prcaria de itunes? eu só queria copiar e colar dentro do ipod e pronto! como se faz com mp4 comuns q tem por ai! como fasso pro ipod funcionar assim? quero lembrar q sou leigo em informatica e queria algo mais simples de se executar, quem puder me ajudar me manda um email pra rafapedra2@gmail.com

MUITO RUIM USAR ITUNES
 
Prezados amigos,

Estou com um problema no mínimo curioso.

Meu micro de casa usa o Mandriva Linux 2007.0, e tem o amaroK 1.4.5 instalado a partir dos repositórios da Mandriva.

O problema é que eu não consigo executar o passo 4 do tutorial, porque o plugin "Dispositivo de Mídia Apple iPod" não existe na drop-down da configuração do amaroK.

Já procurei em tudo o que é lugar que eu pude imaginar por uma solução, alguma forma de "habilitar" esse plugin, mas não descobri como fazê-lo.

Mais curioso ainda é que eu já tentei remover o amaroK (e todos os arquivos de configuração dele) e reinstalá-lo, sem sucesso.

No meu micro do trabalho (Debian Etch) o plugin do iPod aparece na lista.

o iPod é reconhecido pelo sistema: aparece como unidade de disco, e tal. Só que não existe o plugin para ele no amaroK.

Como minha coleção de músicas está em casa e não no trabalho, estou por ora sendo meio que "obrigado" a utilizar o Windows no dual-boot e o iTunes. Mas não queria ter de depender do Windows para isso: queria que ele ficasse só pro FS2004 mesmo :-)

Agradeço qualquer dica.

um abraço!
Bira
 
Caso alguém mais tenha enfrentado o mesmo problema que tive, eis uma solução postada pelo usuário Doutor.Zero no fórum MandrivaBrasil.org:

"Provavelmente esses pacotes do Amarok foram compilados sem suporte ao Ipod.

Experimente fazer o seguinte, desinstale o Amarok, pelo MCC ou via urpmi, adicione esse repositório logado como root no Konsole:

Código:

urpmi.addmedia Amarok http://kevin.deldycke.free.fr/repository/mandriva/2007.0/i586/ with hdlist.cz


Fique atento para instalar os pacotes deste repositório (com a extensão 1.4.5-4mdv2007.0) e também veja se o pacote libgpod está sendo instalado como dependência, pois se não estou enganado ele é que dá o suporte ao Ipod."
 
pelo amor de DEUS, onde fica esse tal de shell, me ajuda(passo a passo)
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?