Follow falcon_dark on Twitter
Google

quinta-feira, agosto 10, 2006

Não obrigue o iniciante a migrar para Linux

O blog Linux sem Mistério publicou um artigo discutindo a necessidade real da LSB para uma ampla adoção do Linux no desktop. O post gerou uma notícia no BR-Linux, meio pelo qual fiquei sabendo de sua existência, e como não poderia deixar de ser, também recebeu alguns comentários de leitores. Não vou entrar na discussão sobre a necessidade de uma padronização entre as centenas de distros Linux, porque além de ser um assunto extremamente discutido em várias esferas da comunidade também é consenso entre a maioria dos usuários. Mas um ponto do artigo me chamou a atenção e me provocou a pensar um pouco e é nesse ponto que quero tocar aqui.

O artigo no Linux sem Mistério mantido pelo Lucas (que tem apenas 16 anos!) discute como a pouca padronização entre as diferentes distros Linux atrapalha a adoção desse sistema por usuários menos experientes. E ele está certo, atrapalha mesmo. Para um usuário com pouco conhecimento técnico ou criado em um ambiente como o MS Windows, onde tudo é mais padronizado, as diferenças entre os vários Linuxes pode incomodar bastante ou até ser uma barreira intransponível. Vários forums sobre Linux apresentam dezenas de pessoas perguntando coisas como “Qual Linux eu tento usar?” ou “Qual Linux é melhor pra mim” e outros tantos respondendo “Debian é difícil” ou “Slack é complicado”. Um bom exemplo é o Forum do Guia do Hardware que até criou um tópico fixo sobre o assunto para tentar impedir esse tipo de discussão ou flamewars entre usuários de diferentes distribuições.

É aqui que levanto a primeira questão significativa desse post. Quem em sã consciência pode achar que sabe o que é fácil ou difícil para outra pessoa? Como um usuário pode dizer a outro que não deve testar esse ou aquele software porque seria difícil demais? Não é a identificação e resolução de problemas o método mais eficaz de aprendizado? Não estou dizendo que deveríamos empurrar um Gentoo para todo mundo que deseja ver um Linux pela primeira vez. Mas creio que seria uma postura mais adequada da comunidade ajudar os novatos e fornecer-lhes toda informação possível para que eles pudessem usar o que desejassem em lugar de dizer que a distro que ele tem nas mãos é inacessível para ele. O que mais vejo em forums por aí afora são usuários experientes dizendo aos novatos para começarem com uma distro mais amigável, e no tópico seguinte dizendo que aquela distro não é “linux de verdade”. Essa postura assusta tanto quanto um sistema operacional novo e complexo.

A segunda questão significativa envolve a forma como a comunidade tem abordado a relação entre Linux e Windows. Parece-me, por vezes, que somos todos evangelizadores em uma missão épica para converter para nosso rebanho cada usuário que encontramos pela frente. Fazer um usuário de Windows migrar para Linux é a melhor forma de salvar sua alma e livrá-lo das garras sangrentas de uma besta que só deseja sua servidão. Precisamos parar com isso! Não temos que fazer os usuários de outros sistemas “enxergarem a verdade” porque não existe “uma verdade”. Não temos que obrigá-los a migrar para que eles possam ser felizes. E enquanto agirmos assim só estaremos disseminando um sentimento de que somos todos um bando de loucos. Devemos entender que é perfeitamente possível que um usuário de Windows esteja feliz com este sistema ainda que pessoalmente para nós isso seja difícil de conceber. Mudar o sistema operacional de seu computador é algo bem pessoal, exige um esforço intelectual considerável e o aceite de centenas de novos conceitos e existem muitas pessoas por aí que não desejam passar por tudo isso. E se elas não desejam passar por isso é nossa obrigação respeitá-las.

Outro reflexo desta busca pela salvação do mundo na qual boa parte da comunidade se engajou quase que inconscientemente é a forma como vai se desenvolver o próprio Linux daqui pra frente. O Linux nasceu para ser um UNIX-like e cada passo que damos para torná-lo mais parecido com o Windows, para agradar usuários iniciantes, mais distante ficamos daquilo que nos agradou quando mudamos de plataforma. Quando leio coisas como “o Linux precisa de tal coisa para que os usuários de Windows mudem” fico me perguntando se é isso que eu espero do Linux quando ligo meu computador. Essa corrida contra o Windows pela atenção dos usuários é perigosa graças à uma premissa importante: o sistema operacional deve ser moldado para seu usuário.

Foi o usuário de Windows que moldou o sistema. A Microsoft vem ouvindo os pedidos e necessidades de seus usuários por anos e transformando o sistema, a cada versão, em algo mais parecido com o que as pessoas querem. Ou você achava que eles gastam milhões de dólares com desenhistas, programadores e projetistas todo ano porque tem pouco amor pelo dinheiro? O produto final Windows não me agrada, por isso eu uso Linux. Uso Linux exatamente pelo fato de este sistema ser, em muitos aspectos, diferente do Windows. A grande flexibilidade e a capacidade de adaptar o Linux às minhas necessidades específicas são dois pontos fortes que me ajudaram a escolher esse sistema. Tire isso do Linux e eu terei poucos motivos para querer instalá-lo em meu computador.

Quando a comunidade inicia uma discussão sobre padronização do Linux sempre aparece o viés de torná-lo mais acessível para o usuário de Windows. Isso é bom. Mas tornar o Linux mais parecido com o Windows em diversos aspectos pode não ser tão bom assim e esse ponto quase sempre fica de lado. Temos que, como comunidade, encarar a migração do Windows para Linux mais como uma opção pessoal de cada um e como compromisso do usuário de romper com um modelo em detrimento à adoção de outro. Ou seja, deve ser algo espontâneo e voluntário e não o resultado de uma ação evangelizatória que tenta empurrar goela abaixo das pessoas um sistema que elas não optaram livremente por conhecer.

Peço aos meus amigos da comunidade: parem de obrigar os usuários a instalar Linux em suas máquinas só porque o WGA descobriu que eles usam cópias ilegais de Windows. Mantenham-os informados de que há uma alternativa e que ela é boa, mas que exige quebra de paradigmas. E deixem que eles decidam quando e se vão buscar uma alternativa por conta própria. E se eles decidirem, ótimo, recebam-os de braços abertos e com toda a informação que eles possam precisar. Com essa postura manteremos o Linux um sistema diferente, de qualidade e com usuários satisfeitos.

Follow falcon_dark on Twitter
Google
Comments:
100% apoiado!

Às vezes parece até que falta bom senso no pessoal pra distinguir o que é melhoria e o que é bug! Bom, querem uma alternativa pra Windows com cara, jeito e idéias de Windows, invistam no ReactOS e deixem o GNU/Linux em paz!
 
Grande post falcão
E obrigado pela citação no seu texto ;-)

Essa é a grande questão, quando nós, a comunidade, entendermos que o Linux não é perfeito (nada é perfeito), vamos conseguir trazer mais pessoas para ele.

Vejo em grande parte dos linuxuser um certo sentimento de repudio quando uma pessoa fala que está feliz com seu Windows e que não pretende migrar para o Linux, vamos parar com isso pessoal, vamos ser abertos a debates e vamos parar de fanatismo.

Com isso nunca vamos passas de um sistema ALTERNATIVO.

abraços a todos
 
Excelente!!!

O que falta no linux é inovação, vejam a Apple o seu sistema operacional são é mais popular porque so rada em suas maquinas, até uns tempos atás. O linux esta caminho para tentar ser igual ao windows e isso é ruim. Tem de ser melhor, mais usabilidade e desempenho.
 
Tenho uma amiga que comprou um computador e veio com Linux, ela me chamou para ajudá-la com o a configuração inicial deste micro, quando cheguei lá ela queria na verdade que eu tira o Linux e colocasse um windows pirata.

Eu fui bem sutil e expliquei que se ela fazia questão eu faria isso para ela, mas disse também que por causa da ideologia que eu defendo (software livre) eu não poderia deixar de pedir para ela dar uma chance ao Linux, mas que eu ainda faria o seguinte, iria mudar a "versão" de linux para a mesma que eu uso em casa, porque seria mais fácil dar "suporte" à ela.

Fiz isso porque para mim a melhor resposta à pergunta um iniciante "Qual Linux eu devo usar?" é a que ouvi de John Maddog Hall: "Use a mesma que o seu amigo que vai te dar suporte usa."

Instalei o Ubuntu 6.06 e sempre que a encontro ela me diz que está tudo bem, mesmo assim o compromisso de colocar o windows para ela ainda está de pé, se ela resolver mudar de idéia vou atender, sem extremismos.
 
Bom texto! Concordo plenamente. Estão querendo transformar o GNU/Linux em Windows e , se isto acontecer, eu paro de usar, pois o uso justamente por ser diferente.

O difícil é convencer alguém de que Windows não é sinônimo de desktop e sim um dos vários "modelos" que existem por aí.
 
"O que mais vejo em forums por aí afora são usuários experientes dizendo aos novatos para começarem com uma distro mais amigável, e no tópico seguinte dizendo que aquela distro não é "linux de verdade"."

Boa observação, é contradição total
mas tem passado imune a todos.

O teu post, no fundo, apela à tolerância (irónico) e à humildade naquelas pessoas que possuem um pouco mais de conhecimento.

O meu filho de 6 anos tem no seu PC; o Suse Pro. e o EduUbuntu 6, só lhe interessa os jogos e as aplicações didácticas e nunca se queixou, porém optei por continuar a usar o Win XP por mais algum tempo, apesar de gostar do Ubuntu, é a minha liberdade aqui.
 
Olá amigos!

Novamente um "muito obrigado" por passarem por aqui para ler o artigo e dedicarem seu tempo para compartilhar suas idéias conosco. Em um mundo ideal ninguém precisaria apelar à tolerância ou à humildade, como o José Monteiro descreveu o artigo. É uma pena que parte da comunidade comporte-se como descrevi no artigo. Mas fico feliz em observar reações positivas aos pontos expressos por aqui que me mostram outra parte da comunidade bastante aberta à agir de forma mais racional às escolhas do outros. Mais que isso, é importante espalharmos a noção de que é preciso respeitar os usuários que tomam contato com Linux pela primeira vez e entender que dificuldades são normais e que todos nós passamos por isso no passado ou até mesmo no presente. E também entender que o Linux não é a solução para todos os problemas de todos os usuários, algumas pessoas simplesmente serão melhor atendidas por outros sistemas e isso também é normal. E não é pela mudança do Linux que mudaremos esse quadro, pois é impossível construir algo que agrade a todos. Acho que entre agradar seu usuários atuais ou tentar atrair possíveis futuros usuários o Linux deve ater-se à primeira opção.

Um grande abraço à todos.
 
Cara, legal o artigo, gostei muito.
não sou muito a favor do Linux ser padronizado pelo seguinte: se existem tantas distros, é porque todas servem para a necessidade de alguém... por isso tantas com padrões tão diferentes, se você pegar pelos pilares (a maioria hoje é BASED, e não criada do zero) não tem muita diferença (pilares que digo, são redhat, debian, slackware, gentoo, suse), eu também não acho que devamos sair feito loucos encontrando qualquer um por aí e dizendo, meu, você vai usar Linux! também não gosto da idéia do Linux se parecer com o Windows, se procuramos o Linux é porque ele é diferente, não porque ta na moda, ou por que os icones são mais bonitinhos. eu ach oque a iniciativa tem que vir de ambas as partes, tem usuário que só ve sistema porque é bonitinho, ou porque aparece uma telinha colorida quando inicializa...
valew
 
Muito bom!!
Eu quase dormi lendo esse artigo, eu estou c/ sone mesmo, mas eu concordo que o linux nao tem que se adaptar ao usuario e sim o contrario.
Apesar de eu nao ter linux instalado no PC, eu to fazendo a cabeça do velho para comprar um HD maior pois esse ta lotado, eu vejo direto artigos sobre o mesmo e espero que no mes que vem eu coloque um HD novo para por LINUX,porem eu tenho que por o 'bom(ate parece) e velho Windows.
 
Poderia ter uma mensagem no linux falando que tal tarefa substitue a tarefa tal no windows...parece uma idéia estranha, mas quem sabe quebre barreiras?
Com isso o "linux não tenta ser windows" (frase mais estranha ainda) e assim os usuários se educam ao novo sistema além de aprenderem a usar o sistema.

Abraços.
 
Acho que obrigar não é o caminho...
Mas pude ter uma experiência com minha irmã,15 anos, que adora computadores, apesar de nunca mecher em nenhum.
Meu pc com dual boot, no windows com call of dutty e no linux nada, somente o padrão do suse 9, ela entrou 2 vezes no windows e o resto no linux.
Pedi pra ela que eu tava com curiosidade pra saber o pq que ela preferiu aquele Linux, lembrando que ela nao conhecia ambos, e segundo as palavras, "aquele parecia mais moderno"
Ou seja, se encantou pelo KDE, do qual eu usava na época, hoje uso ubuntu com gnome.

Eu via os outros dizerem que esse tipo de coisa aconteceria mas não acreditava até então.
Era so pra contar mesmo.
 
putz.. a anos que nego ta nessa guerra santa de padronização de linux e "reflexo de windows"...

como q esses caras não enxergaram q o q atrai os usuários é a "beleza" do SO ?

nego baba pelo OS X, e num é pq ele é "facil" de usar não, qualquer manézinho comum olha pra uma fotinha boba dele e fica apaixonado.

o linux só vai ganhar popularidade por conta da "massa besta" se ficar super atraente e fácil de usar. Não é colocando um "menu iniciar" que a massa alienada em windows vai mudar...
 
bom, quase li seu artigo até o final, mais acho q vc esta um pouco equivocado, foco do linux não eh fazer um sistema, amigavel, pelo que ando lendo, de profissionais, que ajudam a desenvolver o GNU/linux, foco eh estabilidade e segurança, entre outras coisas.

windows, usei windows pirated por muitos anos, desde do meu micro em 97, ateh o inicio do ano ainda usava windows, ele eh um lixo, segurança, ele naum tem, estabilidade ehehehe, me diga qm nunca viu tela azul?, fora q vc paga por uma mercadoria com defeito! bom dinheiro eh seu compre! problema seu.

recomendo usar linux sim!!

mais lembre-se vc eh livre use oq vc qizer!
ps. cuidado com spyware! ahwwhaahawhawhawhawhaw
 
Lagal o artigo, falcon. Mas "Foi o usuário de Windows que moldou o sistema" não é bem assim. O que dizer da interface do Word que muda a cada nova versão? E os menus, que mudam cada vez que a gente abre? Isso não é coisa de usuário...
 
Opniao de um usuario Windows simpatizante de Linux, gosto muito da ideia de Software Livre, e vejo realmente que eh muito dificil alguem sair do windows e passar usar soh o Linux, acredito que a MELHOR FORMA de convecer alguem a pelo menos ter um Segundo S.O., eh explicar as vantagens de se usar Linux, explicar os problemas do Windows numa explicaçao para que ateh uma pessoa leiga entenda. Gostei muito da materia parabens, tente fazer o maximo possivel de associaçoes a outros sites para divulgar. (gsboppre)
 
Existe uma coisa que ninguém ainda percebeu. Enquanto todos do mundo Linux ficam brigando para defender sua distribuição, a MS cresce e continua a existir no desktop. O usuário iniciante chega numa lista de discussão e vê todo mundo brigando por causa das distribuições, logicamente que ele não vai entrar no meio da briga, o que acontece é ele desistir e se contentar com o Windows. Seria uma ótima idéia que os desenvolvedores das distribuições se juntassem para criar somente uma ( ou algumas - não mais que 5), para que o Linux crescesse em qualidade. Arquivos DEB, RPM, TAR.GZ, entre outros, assim como também a estrutura da interface gráfica confunde e muito a cabeça dos usuários. Precisa-se criar um padrão ou uma linha de estruturação para que se possa administrar o Slackware e o Kurumin como se fossem uma distribuição só. Mas claro, isso é só minha opinião. E as "gangues" das distribuições não vão aceitar. Mas é um caso a se pensar (sem brigas).
Um abraço e até mais...
 
Gostei muito do que lí. Principalmente pela claresa com que foi manifestada a opinião.

Só tenho um comentário, sempre achei que os comentarios sobre o Linux ficar mais parecido com o W* era sobre o que ele pode ter de bom, facilidade de configuração e ser amistoso com o usuário (nesse quesito acho que o Ubuntu está ficando ótimo). Nunca pensei em retirar o UnixLike do Linux. Afinal isso seria fazer um WindowsLike e para isso existe o ReactOS.
 
Falcon,

Parabéns pelo post!
Reflete bem o que eu penso sobre o assunto de Linux x Windows. Acho que tem muita gente querendo "converter" (ou convencer) novos usuários dizendo que windows não presta, que o linux é a oitava maravilha, falando apenas por falar, sem explicar e tentar conquistar este usuário, mostrando que o linux é bom!
Coisa que eu abomino é quando um usuário pergunta algo sobre windows e um zé-mané responde: Não funciona? use linux!
Não é assim que vai ganhar um usuário, mas sim com conversa, mostrando os prós e contras de se escolher uma distribuição.

Grande abraço!

E parabéns mais uma vez pelo post.
 
Ola a todos!


Bem, nestes ultimos 5 anos venho acompanhando a "guerra" de xiitas do linux e hiper ativistas do windows, bem, ainda não vi ninguem ganhando.

A unica forma de ganharmos algo, na minha opinião, é suprirmos o mercado com o que ele deseja e espera, sendo um Linux parecido com Windows ou vice versa. A maior "desgraça" para nós usuários /consumidores, é o tal do monopólio.

Que façam acordos entre Novell x Microsoft, que briguem, que disputem, que ganhem dinheiro, pois é o fundamento de qualquer atividade capitalista, mas que desenvolvam enúmeros sistemas operacionais e suas parafernálias.

O poder de escolher é maravilhoso!
 
Caraca esse pessoal que usa distro linus é maluco mesmo.

hahahahahahaha
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?