Follow falcon_dark on Twitter
Google

quinta-feira, abril 21, 2005

A licença do BitKeeper

Pra quem não sabe o BitKeeper é um programa proprietário de manutenção de versões para desenvolvimento de programas. Mesmo sendo proprietário o programa tinha uma licença gratuíta (mas fechada) para o Linux. Isso porque o desenvolvedor do BitKeeper é uma empresa de um amigo pessoal de Linus Torvalds chamado Larry McVoy. Graças à licença gratuíta para o Linux, Torvalds implantou o BitKeeper no kernel Linux há cerca de 3 anos.

Até aí tudo bem, já que a licença do BitKeeper não previa a cobrança para utilização em Linux. O problema é que essa mesma licença proibia qualquer usuário do BitKeeper de criar sistemas de controle de versão que viessem a concorrer contra o próprio BitKeeper. Isso faz com que qualquer pessoa que use-o esteja automáticamente proibida de desenvolver algo na mesma área, já que o código do BitKeeper é fechado e proprietário. A coisa esquentou quando Andrew Tridgell co-autor do Samba anunciou que fazia engenharia reversa em pacotes do BitKeeper pra criar uma versão compatível mas totalmente livre.

Torvalds não gostou dessa iniciativa e pediu a Tridgell que parasse esse desenvolvimento. A suspensão do trabalho não ocorreu e a empresa de McVoy descontinuou a versão gratuita do BitKeeper, impedindo Torvalds de mantê-lo no kernel Linux. Torvalds por sua vez acusou Tridgell de ser o responsável pela situação toda e, em listas públicas de discussão têm acusado-o de prejudicar o desenvolvimento do kernel.

Desde então Torvalds vêm trabalhando em um sistema de controle de pacotes chamado git e não é sabido se haverá compatibilidade com o BitKeeper ou se as coisas mudarão e quanto mudarão. Mas Torvalds já mostrou-se indisposto a adotar a solução desenvolvida por Tridgell. Tridgell defendeu-se afirmando que nunca foi usuário do BitKeeper e que portanto sua licença, e a polêmica proibição, não aplicariam-se a ele deixando-o livre para desenvolver um concorrente.

Se, de fato, Tridgell não usava ou usou o BitKeeper então a coisa toda não passa de um acesso de raiva de McVoy e quem estaria desrespeitando os termos da licença seria o próprio Linus Torvalds... irônico não?

Mas a questão maior por trás de tudo isso é, a meu ver, mais profunda. Pra que usar um sistema proprietário no desenvolvimento do kernel Linux? Qual o sentido disso? Toda a confusão que está ocorrendo não é culpa de Tridgell, tendo ele usado ou não o BitKeeper. A culpa toda é de McVoy e Torvalds, o primeiro por cancelar aparentemente sem razão a licença gratuíta para usuários Linux; e o segundo por usar um sistema proprietário para fazer a manutenção do programa que pode ser considerado modelo de sucesso em software livre.

Jamais um software proprietário poderia ser usado no desenvolvimento do kernel Linux e esse é o maior erro dessa história toda. É uma incoerência ideológica pela qual Torvalds paga agora, sendo obrigado a desenvolver de ultima hora um sistema de correções para que o desenvolvimento de seu kernel não pare. Além da mancha em sua reputação que o desentendimento com uma grande figura do mundo do software livre (Tridgell) por estar defendendo um software que é proprietário.

Que feio...

Follow falcon_dark on Twitter
Google
Comments: Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?